Mostrando postagens com marcador Livros. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Livros. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, maio 20, 2021

Entrevista na CBN

 



Gente, confira o  videozinho que fiz com a entrevista que dei para a CBN.  Isso mesmo, pra rádio “que toca notícias”, não é bacana? Foi no programa Onda Cultural, com a apresentadora Lorrany Castro. 

O vídeo, aproveitando o áudio da entrevista, foi para mostrar a capa do livro Balbúrdias na Quarentena. Falo sobre a criação da capa pelo renomado artista plástico Sérgio Ricciuto Conte. 


——————-

Veja o vídeo em outro formato em nosso ig do Instagram @naturezaemfotosluisan

sexta-feira, abril 02, 2021

Livro Letras Falam





Letras Falam é um livro de poesia. São poemas retratos de vidas e de sonhos.  

Letras Falam é de autoria de Luísa Nogueira, com capa de Sergio Ricciuto Conte, ilustrações internas de Nina Cordeiro e diagramação de April Kroes. 

Letras Falam fala com você com uma linguagem atual e simples.

Ler faz bem e sempre é o melhor em toda e qualquer situação. Livros trazem conhecimentos, lazer e cultura. 




Leia grátis em seu Kindle, ou adquira pelo  preço de um cafezinho. Dê um clique e tenha um livro ilustrado para alegrar olhos, mente e coração. 

Faça um pix e leia Letras Falam agora. Clique aqui





Letras Falam desnuda o  mundo à nossa volta e mostra que  a vida pode ser bem melhor: 




Viva melhor, leia mais. Clique e leia!

 













Leia grátis pelo Kindle ou adquira Letras Falam com um preço simbólico por aqui:


#lerfazbem
#incentivoàleitura


sexta-feira, março 12, 2021

Semana da Mulher com Leitura e Solidariedade

Descontos de lançamento 

Dois fatores foram essenciais para o lançamento do livro Balbúrdias na Quarentena vir com um cupom de desconto que poderá ser utilizado para você doar para quem está em situação de vulnerabilidade social:

1- O número de contaminados e de mortos pelo coronavírus aumentou muito. Estamos vivendo dias nunca imaginamos por nenhum de nós. 


2- O desconto especial que seria dado para as primeiras 10 pessoas que fossem ler o livro, diante da atual situação não faria sentido. Por quê então não ampliarmos os dias de desconto e ao mesmo tempo deixar o leitor decidir por uma doação? Explico: ao pedir o livro, você poderá ou não usar o cupom de desconto. Com o cupom, o desconto será seu. Sem o cupom, o mesmo desconto ficará retido para uma das três ONGs cadastradas. São entidades idôneas que auxiliam famílias e pessoas de um modo geral em suas necessidades básicas. Se antes, ações solidárias já eram necessárias, imagina agora, durante essa pandemia devastadora. 


Doações 


A pandemia no Brasil chegou a um ritmo assustador. O número de mortos POR DIA ultrapassa os dias mais sombrios da primeira onda do coronavírus.  A única saída, nas grandes cidades, é o fechamento de tudo, o chamado lockdown. E com isso mais pessoas irão se transformar em pedintes. Muitas famílias, milhares de famílias irão para as ruas pedir por um prato de comida, pedir pelo amor de Deus um pedaço de pão para seus filhos. 


Balbúrdias na Quarentena não vai ser apenas mais um livro, porém um instrumento de ensino, aprendizado e muito amor aos brasileiros em situações difíceis de vida, devido ao desemprego e a essa doença altamente contagiosa camada Covid-19. 


Pessoas de grupos de apoio e de solidariedade indicaram várias ONGs - graças a Deus há pessoas do bem que ajudam com trabalho voluntário quem passa por problemas diversos, incluindo aí os moradores de rua. Pelo número de indicações, foram selecionados três lugares onde o apoio é permanente, com gente do bem levando comida, cuidados e carinho para aqueles que precisam. 


As ONGs 


Para uma maior transparência no repasse das doações, elas serão enviadas diretamente da distribuidora do livro para as entidades cadastrados. São elas:


1- Cozinheiros do BEM

Instagram:

@cozinheiros_do_bem

Porto Alegre e Florianópolis


2- ONG Misturaí POA 

Instagram: @misturaipoa


3- Paróquia São Miguel Arcanjo 

Instagram: 

@padrejulio.lancellotti 


—————


Livro: Balbúrdias na Quarentena 

Autora: Luísa Nogueira 

Editora: Uiclap 


Descontos:


De 49,27 por 39,00


Mais um cupom de desconto

no valor de 3,90, ficando o valor

final de lançamento por apenas 


35,10


Cupom válido de 13/03 a 12/04/2021


Ao adquirir o livro sem o cupom de desconto você estará automaticamente doando o valor do cupom a uma das ONGs cadastradas. 


Faça também sua balbúrdia, deixando seu cupom para doação. 


Leitor, autora e editora juntos, em um apoio de amor, de solidariedade e de fraternidade aos mais necessitados.


E assim, de mãos dadas, amenizamos um pouco o sofrimento causado pela triste pandemia do coronavírus, graças a voluntários que se organizam em ações fraternas e solidárias.


Para adquirir o livro, clique aqui:




Parte da contracapa


quarta-feira, novembro 11, 2020

Clarice Lispector entrevista Pablo Neruda



Escrevi em 2015 sobre uma entrevista feita por Clarice Lispector. Ela entrevistou nada mais nada menos que Pablo Neruda. Destaquei apenas uma pergunta da entrevista pela resposta de Neruda. Confira e veja também a transcrição do poema “É proibido”:

Clarice e Pablo Neruda
Ontem, em um grupo que participo, tive a alegria de ler Clarice Lispector entrevistando Pablo Neruda. A advogada Clarice - sim, ela era também formada em advocacia, mas gostava mesmo era de escrever, por isto conhecemos só a Clarice escritora e jornalista - fez uma entrevista longa, vou transcrever apenas uma das perguntas e a resposta da mesma.
Clarice Lispector: “Qual é a coisa mais importante no mundo?”
Neruda: “Tratar para que o mundo seja digno para todas as vidas humanas, não só para algumas.”
A entrevista é de 1969. Foi publicada no livro "De Corpo Inteiro", Editora Rocco, em 1999.
Essa postagem do grupo me fez rever os poemas de Neruda. Deixo "É Proibido", desejando um dia de paz para todos nossos amigos.
"É Proibido
É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.
É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual." (Pablo Neruda)

domingo, maio 09, 2010

Via Vida: Para Minha Mãe, a História de Uma Gotinha

História de uma Gotinha*

"Mar imenso... Quietude perene... Movimento eterno...
Permite que eu suba do teu seio e aos ares me erga - levíssima!...
Raio solar, vem cá!, ajuda-me a subir. Empresta-me esse fiozinho dourado...
Oh maravilha! Vou subindo, subindo - feito esbranquiçado vapor...
Alto, sempre mais alto - por cima das grimpas da selva, por cima dos cumes dos montes...
Ah! Quão grande é o mundo! Quão azul é o espaço!...
Que é isso? Um sopro de ar que me empolga...
Um vento me arrebata...
Lá vou eu, minúscula gotinha, sobre as asas das brisas, associar-me a muitas irmãs...
Formamos um Estado, uma República de gotas - uma nuvem...
Perdemos de vista o mar e a praia e os rochedos - e tudo...
Corremos por cima de selvas imensas, de montes altíssimos. Semanas a fio -  de dia e de noite...
Até que, por fim, à falta de auras, paramos por cima de vastas planícies...
De súbito nos rompe do seio centelha vivíssima - e surdo trovão desperta ecos soturnos no recôncavo da serra...
Tamanho foi o abalo do feroz estampido que tombei das alturas - e milhares de irmãs comigo tombaram...
Alagamos florestas, pomares, jardins - saciando  a sede de seres sem conta.
E fomos correndo, correndo, sem nunca parar - sem saber para onde...
Sempre de cima para baixo - nunca de baixo para cima - porque perdemos as asas...
As asas invisíveis que o sol nos tecera...
De todos os lados nos vêm contingentes, pequenos e grandes, sócios de viagem...
Eis que de súbito se abre ante nós planície imensa - o mar!
Lancei-me em seus braços - afundei-me em seu seio...
Contei-lhe as mil aventuras que na longa jornada tivera...
E preparei-me para nova viagem...
Oh! vida ditosa! Andar pelo mundo espargindo benefícios - Regressar à origem colhendo energias - e novos benefícios difundir!...

***

Tal é teu destino, minh'alma, no mundo dos homens - gotinha minúscula...
Tépidos bafejos de raios divinos te ergem do seio das vagas... Em asas etéreas...
Auras benignas te tangem pelo mundo das almas...
Vínculos de amor te unem a outras gotinhas.
Um raio, um trovão, um grande abalo - e desces, gotinha cristalina, sobre as almas humanas...
E retornas ao seio do mar - buscar novas forças para novo trabalho...
Asas etéreas - para nova viagem...
Gotinha de Deus..."

----------

*ROHDEN, Huberto. De Alma para Alma, Editora Martin Claret, São Paulo, 2001, 20ª edição, pp. 189-191.

---------------------------   

quarta-feira, outubro 01, 2008

Via Versos: Citações

"Nosso valor se mede, sobretudo, pelo bem que fazemos aos demais".*

Acho que foi pensando nisso - o bem que fazemos - que o autor do livro Amor em minúscula se valeu de tantas citações. Algumas de escritores consagrados como Stendhal, Shakespeare e Brecht. É, realmente elas nos fazem bem. Vamos ver algumas?

. De uma canção popular japonesa:

"Há duas coisas que nunca mudarão,
Nem hoje nem nunca,
Pois existem desde que o tempo é tempo:
O fluxo da água
E o caráter doce e estranho do amor"

. De Stendhal:

"O amor é uma bela flor,
Mas é preciso buscá-la na beira de um precipício"

. De Shakespeare:

"Duvida de que as estrelas são fogo;
Duvida de que o sol se move;
Duvida de que a verdade não mente;
Mas nunca duvides de que te amo"

. De Brecht:

Satisfações

"O primeiro olhar pela janela ao despertar,
o velho livro volta a encontrar,
rostos entusiasmados,
neve,
a mudança das estações,
o jornal,
o cão,
a dialética,
banhar-se,
nadar,
música antiga,
sapatos cômodos,
compreender,
música nova,
escrever,
plantar,
viajar,
cantar,
ser amável."

-----------------------

Amor em minúscula, de Francesc Miralles, Editora Record, 2008, p. 180. As citações por ele feitas e aqui transcritas estão nas páginas 228 (canção japonesa), 199 (Stendhal), 224 (Shakespeare) e 197 (Brecht).
-------------------------

quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Via Vida 5: A Família de Todo Mundo

A FAMÍLIA DE TODO MUNDO
...



"Oi! Meu nome é Felicidade. Participo da vida dos que vivem cercados por amigos, pois viver assim é ser feliz!

Faço parte da vida daqueles que acreditam que o ontem é passado, o amanhã é futuro e o hoje é uma dádiva, por isso é chamado “presente”.

Estou com os que acreditam na força do Amor, no poder de uma história bonita não ter ponto final.
..........................................................................................................................................
Uma pessoa muito importante me ensinou uma coisa: no final tudo sempre dá certo; se ainda não deu, é porque não é o final. Por isso, acredite sempre na minha família. Acredite no Tempo, na Amizade, na Sabedoria e, principalmente, no Amor."

(Parte do texto “A família de todo mundo”, in SER FELIZ FAZ BEM, de Paula Ramos, Editora Original, pp.50-1).

**************************************************************