Mostrando postagens com marcador Photo by: Luísa N. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Photo by: Luísa N. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, fevereiro 05, 2016

Via Versos: Existência




----------------------

Uma gota
Apenas uma gota
Afogou a imagem
Que a lua desenhou

-----------------------

 Existência


A lua
Nas águas do mar
Uma imagem desenhou


Imagens
Nas águas do mar
Pela lua desenhadas

Imagens
Em revolto mar
Pelas gotas afogadas

Cintilantes imagens
Existindo no brilho vivo
Do amanhecer

Pálidas imagens
Esvaindo-se no trêmulo pálido
Do anoitecer


A lua
Nas águas do mar
Minha imagem
Afogou
                                  

-------------

O poema é deste mês e ano. A foto é de outubro de 2013, do post Lua Minguante, de nosso Natureza e Viver Sustentável, parte complementar deste blog. Apenas suavizei a imagem.

                   
------------------------------------                              

terça-feira, julho 22, 2014

Via Versos: Cores da Esperança




Cores da Esperança

Quando andei
Vi que não havia
Nenhum muro
No horizonte

Quando andei
Vi as cores
Da luz
Da esperança 


Dedico esses versos para você, amigo/amiga, que por aqui passa. 

-------------------------------

sexta-feira, junho 20, 2014

Via Vida: Sobre Copa, Eleições e Universo




Provérbio citado hoje nos programas eleitorais gratuitos. Vociferado ontem por políticos, colunistas sociais e por muitos. Ontem, hoje, enquanto houver uns e outros. Céus! Que os grupos se unam. Que ondas de paz passem por todos. Amém.

Em tempos de Copa e de eleições, nunca é demais implorar: Que as caravanas se pintem não só de verde e amarelo. Que se mesclem e carreguem consigo as outras cores de nossa bandeira.

O futuro do azul do universo depende do tapete verde do solo e do amarelo debaixo deste. 

No azul do universo ou no branco da paz encontra-se o futuro de todas as cores e de todas as coisas. 

Como já disse nas redes sociais, a Copa não tem culpa. Curta a Copa sem culpa. E vote (con)sciência.  

----------------------------

quinta-feira, junho 05, 2014

Via Natureza: Dia Mundial do Meio Ambiente


Foto feita dia 30 de setembro de 2011, no dia de um fenômeno natural raríssimo, chamado Halo Solar. Com uma pequena câmera, sem os filtros necessários - a pressa do registro! - tentava me proteger dos raios solares enquanto clicava. Por isto nas imagens feitas aparecem também o beiral do telhado de nossa casa e a copa de algumas plantas. Meu pé de angico, meu pé de urucum, minhas palmeiras, minhas dracenas-fragans e até um galho de minha mussaenda-vermelha me deram abrigo e proteção - Os pronomes possessivos são porque amo minhas plantas, não se espante. Elas sabem que é excesso de carinho e que elas existem para o bem de todos nós. 

Revendo hoje essa foto, no Dia Mundial do Meio Ambiente, não tenho como não pensar em quão grande e misterioso é nosso planeta e nosso universo. Na imagem percebe-se claramente um avião no círculo formado pelo sol. O avião ficou minúsculo perto de seu brilho. Que neste Dia Mundial do Meio Ambiente possamos refletir sobre a condição humana em nossa grande e misteriosa galáxia.

---------------

Nota: Veja as fotos que fizemos
 do sol naquele dia, em: http://multivias.blogspot.com.br/2011/09/via-natureza-o-sol-neste-minuto.html

-------------------------------------------

domingo, fevereiro 23, 2014

Via Vida: Uma Borboleta nas Mãos de um Trabalhador

Mãos que lidam com a terra - A borboleta parece olhar e admirar as mãos do trabalhador  

Em nosso país há muitos trabalhadores vindos de várias partes do mundo, principalmente da América do Sul. Ontem, em uma feira de Brasília, encontrei um desses trabalhadores. Ele mostrava uma borboleta que tinha pousado em suas mãos. Uma borboleta que parecia ter saído, naquele momento, de um casulo. 

Como sempre estou "pronta para mais um clique", imediatamente cliquei aquela pequena mensageira de beleza e de paz. Mal sabia eu que estava na verdade fotografando as mãos de um vencedor. Um homem cujas mãos mostram ser de uma pessoa que faz com que elas - suas mãos - sejam um orgulho para si mesmo, antes de mais nada. 

Pouco sei sobre ele, apenas que nasceu em um país vizinho, estudou e trabalhou em muitos outros países, casou-se com uma brasileira que participava lá fora de projetos sociais e depois de rodarem o mundo resolveram fixar residência no Brasil. Compraram um pedaço de terra e, pelo visto, estão, em duplo sentido, colocando "as mãos na massa". Explico: Eles não estavam na feira fazendo compras ou a passeio; foram vender empanadas*, por sinal deliciosas.

É no trabalho diário que nos libertamos e nos humanizamos. A borboleta, além da beleza, traz consigo o símbolo da liberdade através da paciência e da persistência. Ela pacientemente se liberta do casulo, dando uma bela lição de vida.

Nossas mãos falam por nós. Dizem um pouco daquilo que somos. Quando em momentos difíceis não nos damos por vencidos, são elas nossas poderosas armas. 

Vendo as marcas nas mãos fotografadas, lembrei-me do filme "E o vento levou". A personagem Scarlett O'Hara, depois de perder tudo, gritou com todas suas forças que não passaria fome, nem ela nem sua família. Colocou as mãos na terra, criou calos arando e plantando. Venceu, porque o trabalho é sempre libertador, motivando-nos e nos impulsionando a seguir em frente. 

Uma ótima semana!

----------

*Empanadas: Iguaria argentina, com o formato de um pastel de forno. Deliciosa.

----------

A borboleta ainda com as asas um pouco curvas. Parece que tinha saído, naquele momento, de seu casulo. 

A borboleta sobre a cesta de empanadas


-------------------------------------------------------- 

domingo, fevereiro 09, 2014

Via Verde: Gomeira, Uma Árvore Nativa do Cerrado

Post por nós publicado em novembro de 2012 no blog coletivo Terra, aquele abraço. Queremos acompanhar uma gomeira por um ano apesar do tempo escasso. Mas, quando a vontade é maior, o tempo apertado pode esticar, espero.  


Gomeira no início da floração - Foto feita em 02 de nov. deste ano

Foto do dia 15 de nov./2012

Foto de 15 de nov./2012

Gomeiras - Fotos de 02 de novembro

Gomeiras - Fotos de 25 de novembro

A Gomeira, árvore nativa do Cerrado, é também conhecida como goma-arábica, árvore-de-goma-arábica, gomeiro-de-minas, pau-d'água, pau-de-vinho, casca-doce, entre outros nomes populares. É da família vochysiácea, tendo como nome científico Vochysia elliptica(essa espécie das fotos). Há alguns anos vejo essa árvore de flores vistosas, mas nada sabia sobre ela. Dia 15 deste, clicando uma delas, conheci uma engenheira florestal,* que me informou seu nome. A partir daí minha pesquisa ficou bem mais fácil. Fiquei sabendo, por exemplo, que as gomeiras de Brasília são mais altas que as de outros locais do cerrado, sendo, em alguns lugares, apenas um arbusto; que medem entre 4 e 11 metros; que, assim como o eucalipto e a acácia, produzem goma, por isto chamada de gomeira, goma-arábica e árvore-de-goma-arábica e que da casca de seus frutos pode-se fazer lindas bijuterias.**   
  
 As Gomeiras das fotos deste post são das redondezas de Brasília. 
---------------
     
* Elisa, jovem Engenheira Florestal.
**Veja algumas bijuterias em: Yasaí Biojóias.
Veja também sobre a gomeira no site Árvores do Distrito Federal.

----------------------------------------------

quarta-feira, janeiro 29, 2014

Via Artesanato: Passo a Passo de uma Pulseira para a Copa

Reciclagem de alças de sacolas em uma pulseira de crochê e sementes de açaí

Reciclar é sempre bom e nunca é demais. Que mais e mais pessoas se conscientizem sobre a importância da reutilização e da reciclagem. Isso é essencial para ajudar na sobrevida de nosso planeta, já sobrecarregado e inchado com lixões se multiplicando por todas as partes. Tudo isso devido ao descuido e desatenção dos governantes com pessoas que colocam o lado material na frente dos problemas ambientais e sociais.
Até quando ele suportará? "Mais atenção, menos ganância, menos compras e mais reutilização", ele nos diz. 

A Copa do Mundo de Futebol está chegando. Seguindo o conselho de nosso abarrotado e suplicante planetinha, fizemos uma pulseira para você, torcedor ou torcedora. Em vez de comprar, que tal fazer a sua? Queremos estádios com torcedores mostrando ao mundo que reciclar e reaproveitar faz bem. Com pessoas levantando os braços e dizendo ao mundo que o natural e o simples é o caminho mais fácil para dissuadir os agitadinhos que vão aos jogos não apenas para curtir a alegria de um esporte que acolhe, incentiva e une pessoas de todas as nacionalidades. Não à violência e sim à alegria, ao entusiasmo e ao esporte.


 Passo a passo da confecção da pulseira

 Material
  • Alças de sacolas usadas (Sabe aquelas sacolas que você recebe em lojas? Geralmente confeccionadas com papel, rasgam logo, não é? Algumas possuem alças bonitas e muitas em algodão, como é o caso dessa que reciclamos)
  • Cordão, linha grossa ou outro tipo de fio que você tiver, na cor de sua preferência (amarelo ou verde, ou mesmo azul ou branco, cores de nossa bandeira)
  • Agulha de crochê
  • Duas sementes pequenas (Utilizamos sementes de açaí) 



Confecção da primeira parte:
  • Dobre a alça em três partes. A parte central é onde vamos fazer o crochê. (Foto 1)
  • Com a agulha de crochê passe o fio do avesso para o direito, deixando mais ou menos 20 cm. Do lado direito comece um caseado de um dos lados. (Fotos 2 e 3)
  •  Ao terminar o caseado do primeiro lado, passe o fio para o lado direito, trabalhando da mesma forma ao longo do segundo lado. (Fotos 6, 5 e 7)
  • Ao terminar o caseado dos dois lados, volte o fio para a direita. (Foto 8). Agora acompanhe a segunda parte na colagem abaixo. 

  

Segunda parte:

  • Faça um nó e coloque uma semente no fio. (Fotos 1, 2 e 3)
  • Com a agulha de crochê faça uma correntinha, colocando a outra semente no final da corrente. (Fotos 5 e 6)
  • Passe o fio para o lado avesso e arremate. Sua pulseira está pronta para ser usada.


Pronto. Agora é só amarrar atrás de seu braço.

Caseado feito na parte central da alça

Pulseira pronta

-------------------------------------

sexta-feira, janeiro 17, 2014

Vias do Multivias: Comemorando Meio Milhão de Visualizações

Estamos em festa. Hoje, 17 de janeiro de 2014, este blog está comemorando 500 mil visualizações de páginas, de acordo com a estatística do Blogger. Vamos festejar com frutas cultivadas por nós mesmos, sem nenhum veneno em suas folhas ou em sua raízes. Quando usamos pulverizadores com esse ou aquele produto para "matar" pragas, estamos envenenando o ar que respiramos e, consequentemente, os seres que nele vivem. Há quem use esses produtos diretamente na terra, ao redor das plantas, passando, assim, químicos nocivos ao solo. Nos dois casos tem-se a contaminação do ar e do solo, atingindo também os lençóis freáticos, nossa reserva de água subterrânea. Os figos das fotos são bem naturais. Utilizamos em nosso pequeno pomar estercos e adubos, estes feitos em uma composteira que temos em um cantinho do quintal, com cascas de frutas, restos de verduras e folhas secas.

Veja as fotos abaixo. Ficou com água na boca? Não está na hora de plantar alguma frutífera? Comemore conosco incentivando práticas saudáveis de cultivo. Figos são bem-vindos em qualquer lugar.


Para você, com todo carinho!


Obrigada a você que por aqui passa. Obrigada pelo carinho e por compartilhar conosco esse ideal de vida por uma terra menos contaminada e muito melhor para se viver. Que Deus continue iluminando a todos nós! 

------------------------------------


sábado, janeiro 11, 2014

Via Natureza: Céu, Paisagens e Formas do Cerrado

Fizemos essas fotos em novembro de 2012, postando-as no blog Natureza e Viver Sustentável. Hoje, durante uma caminhada, vi  e colhi muitos pequis, fazendo um delicioso arroz com pequi, um dos pratos típicos goianos. Qual a relação do pequi com esse post? É que na última foto, a da colagem, há a imagem de um bonito cacho de pequis. Vamos conferir o céu, as paisagens e as formas do cerrado?

Céu do Cerrado
O sol do céu do cerrado deixa tudo muito claro e azul. No amanhecer ou no pôr do sol os tons de azul, amarelo e vermelho se mesclam e tudo fica parecendo um quadro de tons encantadores. Talvez por essa claridade os meses secos ficam com pouca umidade, favorecendo as queimadas que acontecem em agosto e setembro. Muitas árvores não resistem e secam, sendo isso bem mais frequente nos últimos anos.

As fotos deste post foram feitas em Brasília e em seus arredores. A do por do sol e a do entardecer da colagem abaixo fiz na BR que liga Goiânia a Brasília.

Amanhecer, por do sol e um entardecer com sol e chuva














----------------

Quer ver mais fotos de pequi? Os frutos com e sem casca? Como fazer pequi em lascas? Receitas com pequi? Confira, neste mesmo blog, através dos marcadores "Pequi" e "É tempo de..."  logo aqui embaixo.  

-------------------------------------------

sábado, janeiro 04, 2014

Via Natureza: E não é que o galo vai cantar?

A Internet é mesmo surpreendente. Imagine a foto de uma ave postada inocentemente em uma rede social* ganhar conotações "futebolísticas". Foi o que aconteceu com a imagem de um galo. Feita em 2012, em uma chácara nos arredores de Goiânia, só agora resolvi publicá-la. Em alguns segundos as "curtidas" começaram e não pararam mais. Ainda não tem 24 horas, mas já ultrapassa 50 mil visualizações, mais de uma centena de curtidas e muitos compartilhamentos. Apostando no "charme" do galinho, vamos ver onde tudo isso vai parar. A foto foi essa:



Veja mais algumas fotos do galo galã feitas nesse mesmo dia:






Nesta aqui ele foi talvez matar sua sede junto de alguns patos:


Que galinho atrevido, gente!!!

-------------

*Em nossa página do Facebook Natureza e Viver Sustentável.

--------------------------------

    

quarta-feira, janeiro 01, 2014

Via Natureza: Flores do Jambeiro





Quem ainda não viu um jambeiro florido está perdendo um dos mais belos espetáculos que a natureza nos oferece no início de cada ano. Suas flores, como pompons de um rosa-choque intenso, apesar de serem muitas, ficam quase ocultas entre suas folhas. Elas, ao contrário de muitas outras que nascem na ponta dos galhos, ficam no meio deles. São tímidas, escondendo-se? Só podemos ver sua beleza ao nos aproximarmos. Paralisados, queremos ver mais, ficando debaixo de sua frondosa copa. Quando fizemos essas fotos o chão estava forrado de pétalas e estames. Confira e procure algum jambeiro nas redondezas de sua casa. Seus olhos e sua mente agradecerão. 










Feliz Ano Novo!

--------------

Veja também neste blog o post Jambo, uma Frutinha da Cor do Brasil.

--------------------------------

quinta-feira, dezembro 19, 2013

Via Artesanato: Lindo Colar com Reciclagem de Fios


Temos uma artista em casa. Minha filha aprende, cria e transforma. Há mais ou menos dois anos faz lindos colares. Este ano ela começou a expor seu trabalho. Entusiasmada com tantos elogios, quis ir além fazendo cursos de bijuteria. Nossa casa virou um grande ateliê com pedras, contas e fios por toda parte. Pouco a pouco conseguiu se organizar, fazendo um cantinho só para suas criações. Percebi que havia uma profusão de pequenos fios, sobras de colares e pulseiras. Antes que todos aqueles pedacinhos fossem parar no lixo, resolvi  também "criar" algo. Sem saber direito como reciclá-los, fui amarrando os restos de linha em um fio maior. E não é que deu certo? Como lagartas se metamorfoseando em belas borboletas, vi que dos restos de fios, cordões e linhas apareceu um

quarta-feira, dezembro 11, 2013

Via Natureza e Arte: A Árvore que Chora





Vi a escultura "A Árvore que Chora" no Centro Comercial Gilberto Salomão, em Brasília, entre outras peças de madeira esculpidas por Alí Hurtado, ambientalista e escultor com mostras mundo afora. Impressionante os detalhes. Uma árvore com a cabeça desanimada e infeliz entre galhos quase sem folhas chora, enquanto um homem a mata, serrando-a. "Lágrimas" caem de seus olhos devido a um mecanismo implantado em seu interior. 

A escultura "A Árvore que Chora" é rica também em simbolismos. Representa a ambição humana, representa a destruição das matas e, consequentemente, de nosso planeta. Representa o clamor dos ambientalistas em prol do meio ambiente. Feita com a madeira de uma árvore admirada por Chico Mendes, ela nos lembra a luta em defesa dos seringais, em defesa dos seringueiros e, consequentemente, em defesa da floresta amazônica; luta de um bravo ambientalista assassinado em 1988. A árvore chora por todas essas mazelas humanas e também pela ausência de Chico Mendes, seu grande amigo e defensor. 

Nascido no Peru, porém com mãe brasileira, Ali Hurtado atualmente reside no Acre, em Xapuri, onde recebeu a doação da madeira da árvore que ficava em frente à casa de Chico Mendes. As fotos da colagem foram feitas a partir de fotos do álbum do artista e mostram as etapas da criação dessa escultura e o documento de doação da madeira. As outras fotos fizemos durante uma exposição de suas obras.


A árvore caída em frente à casa de Chico Mendes e as etapas da criação da escultura "A Árvore que chora". 

O escultor Alí Hurtado posa gentilmente ao lado de sua obra.

----------------------------------------------


quinta-feira, dezembro 05, 2013