Páginas

quarta-feira, junho 30, 2010

Via Natureza: Choro-resina de um Pinheiro fora de seu Habitat


Encontrei esse pinheiro no jardim de um vizinho. Talvez tenha sido plantado por um antigo morador na época de natal. Geralmente as tuias são utilizadas como árvores de natal. Não me pareceu uma tuia; não pude identificá-la melhor porque sua copa estava cortada, aparecendo somente a parte inferior de seu tronco e, bastante debilitada, com folhas e tronco escurecidos . Não é raro encontrar araucárias em climas secos como o do cerrado do Centro Oeste. Os pinheiros, como sabemos, apesar de vistos nos jardins do Brasil inteiro, são árvores típicas do Sul, principalmente do Paraná. Mas, o que me chamou atenção foi sua resina. Havia algumas resinas grandes e bem claras, em seu tronco escuro. Uma árvore adoentada talvez por estar fora de seu habitat natural, pensei. E, abandonada, chorando...
...

Fica aqui esse exemplo de como a natureza reage quando tentamos mudá-la. Vamos plantar árvores originárias de nossa região?

---------------------------

3 comentários:

  1. Luiza,
    Fiquei penalizado com a conífera da foto (não é uma araucária) e fui buscar no Google uma explicação para a resina que você fotografou, veja o que encontrei: "Resina é uma secreção formada especialmente em canais de resina de algumas plantas como, por exemplo, árvores coníferas. Numa ferida na casca da árvore, a resina escoa lentamente, endurecendo por exposição ao ar. De outra forma pode ser obtido fazendo talhos na casca ou madeira da planta separadamente.

    As plantas produzem resinas por várias razões cujas importâncias relativas são debatidas. Sabe-se que as resinas cicatrizam as feridas da planta, matam insetos e fungos, e permitem que a planta elimine acetatos desnecessários".
    Abraços, JAIR.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Jair. Deduzo que ele - o pinheiro - estava mesmo 'chorando' pelos cortes (feridas) feitos em seu tronco... Como as lágrimas protegem nossos olhos, a resina protege a árvore, certo?
    Um abração, amigo!

    ResponderExcluir
  3. Olá! Luiza,
    Aquele é um inseto muito incomun e interessante.
    Brad

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo.

Curta, siga e compartilhe com seus amigos as postagens deste blog. Como você, queremos viver com amor e respeito ao meio ambiente.
#ummilhãodevezesurgente