domingo, março 22, 2009

Via Músicas Que Ficam: Folhas de Outono

Folhas de Outono





Nosso outono chegou. Um outono meio primavera, meio verão, com o verde das árvores ainda intacto; poucas são as árvores desfolhadas. É um outono bem brasileiro. Bem diferente dos países onde o frio predomina, com as folhas das árvores caindo... Caindo e cobrindo o chão de um manto amarelado. Aliás, bem diferente mesmo, até na data, porque por lá, agora é primavera; por lá - nos países frios - é o colorido da primavera que começa.

Gostaria de colocar, neste post, a música Folhas de Outono. Ela marcou nossa adolescência, cantada por jovens goianos. Vamos relembrá-los? A música e os jovens?


Folhas de Outono

Roberto Carlos
Composição: Francisco Lara / Juvenil Santos

A folhas caem
O inverno já chegou
E onde anda
Onde anda o meu amor
Que foi embora
Sem ao menos me beijar
Como as folhas
Que se perdem pelo ar
Mas ainda nela eu penso
Com muito carinho
As folhas vão caindo
E eu choro baixinho
Mas tenho a esperança
Que ela vai voltar
As folhas quando caem
Nascem outras no lugar
...
------------------...

Esta música me faz lembrar um jovem poeta goiano, nosso vizinho de bairro. Sempre que a ouço, sua voz e sua imagem a acompanham, como o violão de seu irmão, sempre presente em seus recitais juvenis.
Depois de cantá-la, nosso amigo recitava seus novos poemas, tendo como fundo musical um suave dedilhar de violão.
E como um anjo, Gabriel* falava e cantava o cotidiano de nossas vidas.
A primavera da junventude é florida pelos sonhos. A primavera depois do outono da vida, é plena de lírios e orquídeas, chamados filhos, sonhos realizados e sonhos a sonhar.
Que você, Gabriel, tenha realizado todos seus sonhos e que tenha sempre muitos sonhos a sonhar e a realizar!
...
--------------
...
*Gabriel Nascente, hoje um conhecido poeta goiano, é autor de vários livros.
...
------------------------

4 comentários:

Unknown disse...

Olá Luísa um abraço belo espaço esse e com muito verde. Apesar do outono e a poesia havia lido no Gos é linda.Um abraço desse amigo.

Luísa Nogueira disse...

Obrigada, amiGO!

João Esteves disse...

Luísa, você é sempre a mesma, a fotógrafa cuja objetiva costumeiramente se volta para a natureza como a querer preservá-la também nas imagens e textos informativos. Suas multivias homônimas também. A única diferença que percebi foi que este blog aqui ficou bem mais bonito nessa roupa nova. Retornarei para mais ver e mais ler. Por enquanto já tive conhecimento de um poeta goiano, rememorei uma canção graciosa e vi belíssimas fotos. Pra mim, por hoje, já está satisfatório. Gostei mesmo.

Luísa Nogueira disse...

Que bom! Mais um amiGO nos visitando! Com certeza seu blog será mais um que seguirei...
Um abraço!