terça-feira, maio 13, 2008

Via Natureza: Torres e Antenas










A paisagem de nossas cidades e de nossas estradas está mudando. Ou melhor, mudou. Há torres por todos os lugares. No meio de uma bela paisagem, dessas de paraíso, com diversos tons de verde, o que aparece, surgindo do nada? Do nada? Não, não, surgido do dinheiro das vendas de milhões de celulares. As empresas se multiplicam na mesma proporção das aparelhinhos. Todo mundo tem um. Há até aqueles que fazem coleção. E o que dizer dos "chips"?

Como gostaria que os dados das pesquisas sobre aquecimento global fossem mais divulgados. E como as torres e as anteninhas dos celulares contribuem para isso.

Empresas e consumidores, vamos pensar mais na perpetuação da vida do planeta Terra? Se nosso planeta adoece, adoecemos juntos.

Não ao consumo exagerado. Não à poluição do meio ambiente. A vida em primeiro lugar. S.O.S. ao bom senso! A vida do planeta pede socorro. Help! Help!

--------------------------------------------------------

2 comentários:

Eninha Campos disse...

Olá Lu.
muitíssimo obrigado pela simpática visita lá no O QUE É ISSO.
Nós também somos novatos aqui na net.Temos mais ou menos uns dois meses.
Como ja falamos lá no nosso blog, nem de longe somos especialista no assunto. Somos curiosos! Dedicamos alguma das nossas horas a conhecer o que e como as pessoas estão fazendo depois decidimos o quê colocar em prática.

Viagem e tusismo é um "gênero" fascinante com váaaarias vertentes,não é?
Navege bastante, leia muitos artigos específicos para blogs normalmente os autores dão várias dicas úteis, capriche no conteúdo, nas imagens...
vamos trocando idéias , tá bem?
Boa sorte!
os amigos
Pedro e Eninha
http://wwwoqueeisso.blogspot.com/

JAIRCLOPES disse...

Pois é, tive oportunidade de viajar para a África do Sul e lá, em Joannesburgo, as torres de celulares e outras que tanto enfeiam nossas paisagens, são disfarçadas de árvores como eucaliptos, palmeiras e outras, de modo que, num grupo de árvores verdadeiras encontram-se algumas que são torres, mas tão fantasiadas das árvores que as cercam que é quase impossível distingui-las. Conclui-se que, se não podemos nos desfazer das torres, podemos, pelo menos, amenizar a poluição visual que elas representam.