Mostrando postagens com marcador Árvores do Cerrado. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Árvores do Cerrado. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Via Verde: Jambo, Uma Frutinha da Cor do Brasil

Os jambos aparecem aos montes...
...coladinhos nos galhos do jambeiro.

Jambos caídos debaixo de um pé de jambo.
Jambo

Jambo cortado ao meio
Cortamos em três, para melhor mostrar a polpa.

Um jambeiro

Jambo, jambeiro.  Podemos degustar o jambo-rosa (Syzygium jambolana), o jambo-branco (Syzygium jambos) e o mais apreciado, o jambo-vermelho (Syzygium malaccensis). Pertencem à família das mirtáceas, a mesma família da goiaba, da pitanga, da jabuticaba e tantas outras frutas brasileiras. As mirtáceas (Myrtaceae) têm como uma de suas principais características a produção de óleos essenciais aromáticos, sendo o eucalipto a planta mais conhecida desse gênero.  

O jambeiro da foto está na calçada de uma casa perto de nossa rua.

Pesquisando sobre as mirtáceas, soube que em Portugal há uma pequena fruta bastante apreciada, com flores cheirosas, conhecida como murta ou mirto (Myrtus communis), também pertencente a esta família. Foi aí que me lembrei das deliciosas myrtilles que conheci na França. Existe até uma famosa geleia de myrtille, por sinal muito gostosa. Se a portuguesa for a mesma francesa, deve ser mesmo uma gostosura. 

O post da semana passada foi sobre uma frutinha que queremos muito saber seu nome. Adquirimos a muda como se fosse jambo. Estamos tentando descobrir. Se você puder nos ajudar, por favor, veja as fotos e entre em contato conosco através dos comentários. Obrigada e uma ótima semana!

---------------------------  

quinta-feira, janeiro 27, 2011

Via Natureza: Imagens da Mata - II



Vamos refletir?

--------------------------

terça-feira, janeiro 25, 2011

Via Natureza: Imagens da Mata - I




terça-feira, janeiro 11, 2011

Via Verde: Sob a Sombra de um Jenipapeiro

Sob o céu azul de Brasília, à sombra de um jenipapeiro, Gilvany trabalha. Acorda cedo, prepara café, leite bem quentinho e sucos diversos - de maracujá, de caju e dos jenipapos que por vezes ela encontra, caídos debaixo do pé de jenipapo, como se estivessem à sua espera.

Gilvany enche caixas de isopor com pão de queijo, beiju de tapioca e bolos cortados em pedaços. Assim, cheia de delícias, com um jaleco imaculadamente branco, ela fica, todos os dias, ao lado de um ponto de ônibus; expõe carinho e guloseimas, em uma mesa com toalha branca.

Os fregueses chegam e Gilvany, entre um sorriso e outro, atende a todos.

Gilvany salta da cama antes do nascer do sol. Depois de preparar seu ganha-pão, deixa seus filhos na escola e corre para o trabalho, onde fica todas as manhãs. Na parte da tarde ela se organiza para a manhã seguinte, enquanto prepara o básico para a sobrevivência de sua família.

Gilvany representa as brasileiras e os brasileiros - milhões deles! - que saem de segunda a sábado para um trabalho informal. Um trabalho sem férias, décimo terceiro ou qualquer outro direito trabalhista.


Sob o céu azul de Brasília, à sombra de um jenipapeiro, Gilvany trabalha. Acorda cedo, prepara café, leite bem quentinho e sucos diversos - de maracujá, de caju e dos jenipapos que por vezes ela encontra, caídos debaixo do pé de jenipapo, como se estivessem à sua espera...   

 Enche algumas caixas de isopor com pão-de-queijo, beiju de tapioca e bolos cortados em pedaços. Assim, cheia de delícias, com um jaleco imaculadamente branco, ela fica, todos os dias, ao lado de um ponto de ônibus; expõe carinho e guloseimas, em uma mesa com toalha branca.       

Os fregueses chegam e Gilvany, entre um sorriso e outro, atende a todos.  

Copa do jenipapeiro...

Galhos com jenipapos...

Nesta foto podemos ver o formato das folhas, os galhos e dois jenipapos...

O jenipapo da esquerda ainda está em fase de maturação. Os outros dois já podem ser consumidos; foram encontrados por Gilvany debaixo do jenipapeiro. Ela gentilmente me cedeu para essas fotos.

Um jenipapo cortado ao meio...

Polpa do jenipapo. Para um suco cremoso é só misturar leite e açúcar. Bater ou não no liquidificador.


.Jenipapo, fruto do jenipapeiro. Pode ser consumido in natura e de mil outros modos, como por exemplo, em doces, compotas, refrescos e sucos, além de vinho, vinagre, cachaça e licor. Quem nunca experimentou o famoso licor de jenipapo feito em Goiás? Quando ainda verde, seu suco é um corante utilizado em tinturas para tecidos, objetos de barro e, pasmem, em tatuagens. 
...
--------------------------
  

domingo, janeiro 02, 2011

Via Verde: Feliz 2011 com a Cor do Brasil do Ipê-amarelo Homenageando Uma Mulher na Presidência


Ipê-amarelo - Amarelo-ouro ao amanhecer do dia (Foto feita às 6:46 h). 

Ipê-amarelo em pleno sol da manhã (10:49 h).

Flores do Ipê-amarelo para nossa Presidente eleita Dilma Rousseff

As flores dão lugar às vagens plenas de sementes.

Sementes de Ipê-amarelo - Que nossa presidenta lance muitas sementes no solo fértil deste país, escrevendo, assim, páginas novas de amor e esperança a todos os brasileiros.  

Hoje o Brasil acordou comandado pelas mãos, cabeça e coração de uma mulher. Mulher idealista, guerreira e vencedora. Venceu os porões da ditadura, venceu um câncer linfático e venceu as eleições para presidente do Brasil. Votei, no primeiro turno, para outra mulher também idealista, guerreira e vencedora, Marina Silva, sabendo que haveria um segundo turno tendo Dilma Rousseff como a grande favorita das eleições de 2010.  

Quero homenagear a mulher mãe, avó, e agora presidenta, com as cores do Brasil, representadas na árvore-símbolo do Brasil, o ipê-amarelo. 

O ipê-amarelo floresce a partir de agosto; as flores dão lugar a cachos e mais cachos de vagens verdes que guardam dentro de si inúmeras sementes. Dilma Rousseff floresceu nos corações dos brasileiros e agora, plena de sementes, vai lançá-las na terra fértil deste nosso país-continente. Que Deus a proteja e a abençoe, dando-lhe sabedoria dia após dia. 

---------------

Aos amigos seguidos e seguidores: Há alguns meses adicionei a este blog um gadget de pesquisas com o título Ache fácil (Ver na lateral direita). Não para pesquisas gerais, mas para as postagens dos blogs parceiros e amigos e, claro, dos posts do Multivias. Hoje, querendo saber sobre as novidades de Ano Novo de nossos amigos, fiquei surpresa e contente. Apareceram dezenas de blogs - oito páginas! - com posts saudando 2011. Para todos vocês, um Novo Ano com muita Paz, Saúde, Amor e Realizações pessoais e profissionais!         

---------------------------

segunda-feira, outubro 25, 2010

Via Verde: A Beleza Amarela do Guapuruvu


Em Brasília há pessoas de diferentes regiões do Brasil. Talvez por isto haja também árvores vindas de vários estados, como o guapuruvu. Natural da Mata Atlântica,* podemos ver essa beleza de flores amarelas contribuindo para uma maior diversidade da flora da capital candanga. Algum carioca - há muitos cariocas em Brasília - deve ter trazido em sua bagagem algumas sementes, para não perder de vista essa belezura que fica nua no inverno - totalmente sem folhas - mas se enfeita toda na primavera.  





Guapuruvu, guarapuvu, birosca, ficheira, pau-de-vintém, pataqueira e muitos outros nomes populares (Schizolobium parahybae). Família das fabáceas (ou leguminosas). É originária da Floresta Atlântica. De crescimento rápido, pode atingir, em pouco tempo, 30 metros de altura. Sua madeira é macia, por isto muito utilizada em artesanato e na fabricação de canoas. Perde as folhas no inverno e floresce na primavera. Suas lindas flores amarelas atraem abelhas. Tem tronco alto e reto, com uma copa rala. É muito usada em paisagismos de praças e parques. As árvores das fotos estão em um condomínio de Brasília. 

------------

*A Mata Atlântica ocupa totalmente três estados: Espírito Santo, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Ocupa também 98% do Paraná, bem como pequenas porções de onze unidades da federação. Vejam os seis biomas do Brasil no mapa abaixo (mapa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 


Mapa de Biomas do Brasil da Série "Mapas Murais" do IBGE (http://www.ibge.gov.br/)


--------------------------- 

domingo, abril 04, 2010

Via Verde: Meu Doce Tamboril

Meu Doce Tamboril
Autor: Um bem-te-vi do Cerrado

Olá! Sou um bem-te-vi que ama muuuuiiiiiiiiiiito esse pé de tamboril. Ele nasceu entre as plantas do Cerrado. Venho sempre aqui. 

Veja como ele é grande e bonito

De setembro a janeiro ele fica assim, todo coberto por pequenas folhas. 

Depois elas começam a cair... 

Sua copa, antes plena e bem coberta como um guarda-chuva, transforma-se em tênue cortina rendada por onde passam os raios solares...

Suas verdes folhas...

...de verdes tornam-se amarelas, pouco a pouco...

E caem, formando na terra um tapete macio e amarelinho...

Mas mesmo assim, nós, aves e pássaros*, estamos sempre lá...


Outros bichinhos também aparecem!

O amanhecer fica ainda mais vibrante, anunciando que um novo dia vai começar...

No inverno - ele pensa que no cerrado tem inverno - passamos por lá para tomar sol...



...e ver a beleza de seus galhos brotando...



...até ficarem novamente verdes.


Aí ficamos nos galhos mais altos olhando a paisagem e sentindo o frescor de suas folhas...

Periquitos e papagaios aparecem aos montes...



Então eu canto e danço celebrando a renovação da vida


Tamboril, timburi,orelha-de-macaco, vinhática-flor-de-algodão e outros mais de quarenta nomes populares. (Enterolobium). Família: Fabaceae.  

Tronco de um tamboril ainda jovem, de mais ou menos oito anos. As folhas em volta são de cipó-de-são-joão. 

Um galho de tamboril. Foto tirada no início de abril, quando as folhas já estão caindo. 
-----------

Desejamos a você e a todos ao seu redor UMA FELIZ PÁSCOA!

------------

*Aves e pássaros: Veja a diferença no post  Via Natureza 19: De Onde Veio Essa Pombinha?
Mais informações sobre o tamboril em:
http://www.clubedasemente.org.br/tamboril.html